Back to HOME - Voltar para home

 

Conheçam um pouco sobre Vera Rodrigues-Rath, a webmaster deste site!

 

Meu nome é Vera Rodrigues-Rath, sou brasileira, casada, formada em jornalismo pela Faculdade Casper Líbero, e tenho verdadeira paixão por informática. Eu comecei a construir este site ainda no Brasil, quando dava aulas de Windows, fazia serviços técnicos em computadores e encontrava-me disponível para trabalhos como jornalista free-lancer. 

A propósito, eu ainda mantenho minha residência no Brasil (opcional), em São Paulo, Vila Mariana. É lá que mora minha família e a maioria de meus amigos brasileiros (alguns em outras cidades). Como "família nuclear" tenho minha mãe e meu irmão - meu adorado papai já nao pertence mais a este mundo desde 1981, quando veio a falecer, deixando em nossos corações um vazio irreparável.

Por mais de 13 anos trabalhei no Banco do Brasil, até que resolvi pedir demissão, que foi-me concedida em 06 de maio de 1996. Na realidade, trabalhar num banco nunca foi a minha "praia", mas confesso que os primeiros tempos sem emprego nao foram fáceis - eu sentia falta daquela obrigação cotidiana, de acordar cedo todo dia, de falar com pessoas, além de receber meu salário infalivelmente todos os meses. Decidir por um trabalho autônomo realmente nao é uma opção das mais fáceis.

No entanto esta fôra minha determinação, após a qual cadastrei-me no sindicato como jornalista free-lancer, e nos últimos 5 anos eu vinha vivendo desta maneira, realizando trabalhos eventuais. E minha verdadeira fixação por computadores e Internet vinha se intensificando cada vez mais; por vezes fica difícil estabelecer-se o limite entre a paixão e o vício...

Persistindo, no entanto, no âmago de meu ser, um vazio inexplicável. Minha vida não era realmente satisfatória, faltava algo, e de certa forma eu esperava que "alguma coisa" acontecesse, não sei realmente como explicar... Não conseguia fazer planos, estabelecer metas, e minha tentativa de fazer uma psicoterapia resultou em fracasso, pois eu continuava avessa a qualquer tentativa de traçar esquemas.

No fim do ano de 2000, por uma série de fatores, inclusive para encontrar algo que me motivasse um pouco em minha tediosa vidinha, eu comecei a me interessar pelo estudo da língua alemã. E como meu inglês escrito “não é dos piores”, resolvi adquirir um programa de tradução para tentar me comunicar na Internet com pessoas de outras partes do mundo - especialmente nativos de países onde se fala o idioma alemão (ocorre que este software "translator" traduz sempre por intermédio da língua inglesa - por exemplo: inglês-alemão e vice-versa, além de outras línguas). Um dia, "por acaso ou por destino", digitei um endereço de uma página de um site aqui na Alemanha e entrei numa sala de chat, usando meu tradutor (eu digitei "www.nomedacidade.de", e deu certo!!!).

Foi quando Stefan apareceu em minha vida! Eu escrevia as frases em inglês, e rapidamente traduzia para o alemão... este foi nosso início. Logo começamos a nos enviar longos e-mails (em inglês, pois Stefan logo percebeu que meu alemão era terrível... risos...)! Noites e dias, escrevendo e-mails... e os telefonemas... Stefan comecou a me ligar da Alemanha, e nos falávamos por horas e horas ao telefone...

E sem ao menos nos encararmos "face a face" (além de nossos e-mails diários, somente "nos conhecíamos" através de fotos, inclusive via "correio normal", através do qual Stefan me enviou "de quebra" umas cerca de 12 fitas cassete, contendo lindas músicas italianas e canções no dialeto austríaco, um gênero folclórico chamado "Liedermacher") um dia ele me convidou para nos casarmos. Sim, isto mesmo, assim de chofre!!!

Que surpresa! Eu em toda minha vida dissera que nunca iria me casar... E de repente, um convite inesperado... Eu também sempre afirmara que nunca deixaria minha casa, minha rua, minha cidade... pois tinha grande apego ao meu "habitat", ao meu gatinho, a tudo que era o meu "universo". Mas como Stefan sempre diz, reportando-se ao filme "Zorba, o Grego", e citando Alexis Zorbas: "nesta vida é preciso um pouco de loucura"... 

Então a grande decisão: ou tudo ou nada!!! Abandonei momentaneamente todos os meus velhos padrões e conceitos, "assaltada" pela pergunta: Por que não?... Afinal, era a minha chance de ser feliz com meu grande amor!

Optei por vir, a despeito de tudo que possuo no Brasil, todo o meu passado e bens, e vim praticamente "sem lenço, sem documento". Em 8 de Abril de 2001, desembarquei no Aeroporto de München (Munique), e pela primeira vez pude fitar o olhar no meu Stefan - um momento inesquecível. Uma única testemunha - Stefanie, uma brasileira meio germânica, companheira de vôo, que falava alemão e português, e ajudou-me bastante a me safar de entraves burocráticos junto à alfândega. Ela ficara totalmente perplexa, diante de nosso primeiro abraço e um beijo “cinematográfico”, sem sequer imaginar que eu jamais havia olhado Stefan "olhos nos olhos" anteriormente...

E desde este histórico dia, em minha vida, aqui estou, em companhia do meu Stefan. Em 9 de Agosto do mesmo ano casei-me no civil, aqui em Donauwörth, e em 3 de Novembro, no religioso, numa cidade chamada Plattling, onde mora a minha sogra. Tenho muitas fotografias desta data aqui no site, no link PHOTO ALBUM (photos of marriage).

E finalizando este breve resumo de nossa incrível história, gostaria de salientar que estou feliz com minha resolução e em minhas novas circunstâncias, e o mais importante de tudo: eu e Stefan nos amamos realmente! E, com respeito à minha vida profissional, eu planejo, no futuro, vir a trabalhar com informática - vale tudo, desde aulas, até servicos técnicos ou construçãoo de Web sites! E olha que eles precisam de gente aqui na Alemanha nesta área...

Sobre Stefan, meu esposo-namorado (namorado para mim é uma palavra que tem mais a ver comigo, embora estejamos devidamente casados no civil e religioso), leiam o link sobre ele. 

Fale comigo!!!

 

Back

 

Back to HOME - Voltar para home